close

88% das empresas não promovem diversidade de gênero 

Pesquisa revela que mulheres estão sub-representadas na liderança das organizações

empresas diversidade © - Shutterstock
por Redação 20 de dezembro, 2022
  • Impacto positivo e legados sustentáveis Mais informações
    Impacto positivo e legados sustentáveis

Pesquisa realizada com 1 mil profissionais revela que 88% deles acreditam que as mulheres estão sub-representadas na liderança empresarial, sendo a diferença de gênero ainda mais evidente em cargos de liderança. Todavia, 87% dos entrevistados consideram importante a implementação de políticas que garantam a diversidade de gênero nos conselhos de administração das organizações. A pesquisa foi elaborada pela empresa de recrutamento Robert Walters, que buscou desenhar com os entrevistados um panorama das mulheres no ambiente de trabalho. 

O estudo também mostra que uma parcela de 27% acredita que a razão de não haver maior diversidade de gênero nos cargos gerenciais é a preferência por parte da direção das empresas em promover os homens em detrimento das mulheres. Os entrevistados também destacam uma cultura corporativa ruim (24%) e uma estratégia de liderança e desenvolvimento deficiente (15%) como as principais causas do desequilíbrio.

“Como as estratégias de gestão de talentos focam em entender as necessidades individuais de cada funcionário, as organizações têm a oportunidade de criar ações que não apenas desenvolvam futuros líderes, mas também melhorem a diversidade de gênero na liderança”, destacou a diretora de RH da Robert Walters, Ana Viñas.

© – Shutterstock

Metade dos entrevistadas acredita que o compromisso com a igualdade de oportunidades é maior nas empresas com mais mulheres na gestão. Porém, 55% das mulheres acreditam que não há um modelo forte para a liderança feminina em sua organização.

Entre as mulheres entrevistadas, quando perguntadas sobre o que mais as ajudou a alcançar o sucesso profissional, apenas 2% atribuíram a situação à política de desenvolvimento da sua empresa. A maioria, 53%, considera que as promoções a cargos de liderança foram resultado de sua formação e experiência profissional.

Modelo de trabalho híbrido favorece diversidade nas empresas

A pesquisa também questionou o que as empresas podem fazer para facilitar o maior acesso das mulheres aos cargos de gestão e a maioria (56%) defendeu o trabalho híbrido e orientado a resultados como importante. A flexibilidade de trabalho (54%) e mudança cultural da organização para oportunidades igualitárias (53%) também foram bastante citados.

Do universo entrevistado, 75% dos profissionais consideram que devem ser implementadas políticas de educação e formação sobre diversidade de gênero no local de trabalho. Apenas metade acredita que a gestão da diversidade de gênero em sua empresa é transparente ou aberta.

No que diz respeito à área responsável pela implementação e promoção das políticas de diversidade de gênero, 72% dos profissionais afirmam que deve ser a direção geral da organização, seguida pelos departamentos de RH (26%) e marketing (2%).




Os assuntos mais relevantes diretamente no seu e-mail

Inscreva-se na nossa newsletter